Os diversos papéis de um líder

A liderança vem sendo um dos assuntos mais comentados nos últimos tempos, mas estamos preparados para entender como os líderes realmente devem agir em suas atribuições?

“Para ser um líder, você tem que fazer as pessoas quererem te seguir, e ninguém quer seguir alguém que não sabe onde está indo.” - Joe Namath

Estava lendo alguns artigos e me deparei com um assunto um pouco desgastado que vem ganhando muitos clichês durante os anos, um assunto tão lindo e que apenas pessoas muito bem preparadas conseguem desempenhá-lo com maestria. 

A liderança é um dos assuntos mais debatidos ao longo dos anos, ainda mais em tempos de crise como os atuais, em que todos os modelos de gestão necessitam de um líder, alguém que inspire a equipe a entregar total energia para que todos alcancem uma meta.

No entanto, é necessário lembrar que a liderança não é tão bela quanto o retratado por inúmeras pessoas em redes sociais, e até mesmo em alguns treinamentos. O líder é o responsável por pessoas, direta ou indiretamente, em que a empresa deposita um grande voto de confiança em seus resultados.

Não pensem que um líder chega até onde está apenas porque sabe lidar com as pessoas. Isto é uma doce ilusão, ele somente é reconhecido após mostrar resultados significativos em suas organizações.

Quando o assunto é liderança acaba sendo normal acharmos comparações entre os “pseudo-líderes” com os “pseudo-chefes”. Sendo que os líderes sempre são retratados como funcionários que fazem tudo por sua equipe, lutam lado a lado em prol da satisfação das pessoas e mediam embates com a organização. 

Bem, a descrição de um líder é muito legal e honrosa, mas não podemos deixar de lado suas obrigações, afinal de contas o líder não deixa de ser um funcionário, e lembrem-se que ele precisa apresentar resultados e que sem esse fator ele logo deixará o cargo que lhe foi dado.

“Um líder é alguém que sabe o que quer alcançar e consegue comunicá-lo.” - Margaret Thatcher

Imaginamos que a pessoa denominada líder tenha 3 papéis principais, que são:

Papel 1 – Gestor: Essa pessoa é responsável pelos processos de sua área, assim como responsável por pessoas que também irão seguir estas ações, e como sua atribuição o gestor deve garantir o cumprimento das normas e metas especificadas pela organização onde trabalha. O gestor muitas vezes é visto como alguém que não se importa com pessoas e sim com o resultado, e isto é a verdade. O gestor só está onde está porque gerou um resultado satisfatório para sua organização, e por isso o foco dele é garantir que os números apenas melhorem.

Papel 2 – Coach / Facilitador pensante: Este papel é muito importante, e caracteriza alguém que busca a evolução das pessoas em sua equipe. Focado em entender e tratar o comportamento dos membros da equipe de forma rápida e eficaz. Este papel é focado nas pessoas, de forma que haja melhor interação entre as pessoas e a organização onde trabalham. O facilitador pensante trabalha junto com sua equipe, mas não quer dizer que tem de fazer tudo por ela.

Papel 3 – Educador: Além dos papéis citados anteriormente o líder é responsável pelo desenvolvimento de sua equipe, assim como pelos treinamentos e necessidades individuais de cada sujeito por ele liderado. Isso não quer dizer que os treinamentos devem ser ministrados por ele, mas o líder deve ser o responsável para que eles aconteçam de forma eficaz para quem precisa deles.

Um cargo com três atribuições

É normal que muitos trabalhem o lado humano de um líder, caracterizando diferenças de um chefe, e ao meu ver isso é um absurdo sem tamanho, um líder tem de ser alguém que se importe com pessoas e quer ver o bem de sua equipe, mas não pode deixar de lado seu papel principal em uma organização, trazer resultados satisfatórios. 

Nem todos os gerentes e/ou diretores são líderes, muitos pensam somente nos processos e não nas pessoas. Outros pensam demais nas pessoas e deixam os resultados e processos de lado! É uma linha muito tênue entre os papéis que um bom líder deve tomar.

Vamos imaginar que um novo gerente vai assumir uma área, e é normal que haja certa inquietação com este fato, exigindo que o novo gerente tenha muitas habilidades de liderança e comunicação. Ao iniciar, a primeira coisa que o novo gerente deve fazer é esclarecer todas as novas regras e diretrizes, assim como os papéis de cada um da equipe. 

Neste ponto não pode haver negociação, a empresa determinou isso e ponto, o papel deste gerente é seguir as orientações e fazer com que sua equipe as cumpra. 

Após este primeiro momento, o novo gerente vai lidar e conhecer melhor sua equipe, assim como todos os perfis envolvidos neste time. Apenas neste momento que a imagem do líder que temos começa a tomar forma, pois não se pode deixar de lado as regras e nem mesmo as atribuições de cada um. Em uma área de TI, por exemplo, o gerente pode acompanhar a montagem de um novo ambiente, mas não significa que o gerente tem obrigação de carregar caixas e montar computadores.

Além de definir as regras e o objetivo do papel de gestor, o líder também deve auxiliar na evolução das pessoas de sua equipe (papel de coach/facilitador pensante), e caso exista a necessidade de ensinar uma competência a alguém de seu time é o líder quem deve tomar todas as ações para facilitar um treinamento ou ação similar ao seu liderado. Ou seja, o papel de treinar os funcionários é sua responsabilidade (papel educador).

O assunto de liderança é muito amplo, mas quero me ater apenas à definição mais comum de um líder, um agente que direciona e gere uma equipe. Não quero invalidar nenhuma outra ideia ou definição de um bom profissional que lidera sua equipe, apenas colocar o meu ponto de vista.

O líder é apenas um funcionário que orienta e guia sua equipe para uma meta pré-estabelecida pela organização onde trabalha, e por conta desta responsabilidade algumas vezes o “líder” deve se tornar o “chefe” para que a equipe consiga alcançar os objetivos que lhe foram “impostos” pela empresa.

Para finalizar, gostaria que refletissem sobre uma questão: O que é mais importante para um líder, o bem de poucas pessoas de sua equipe ou o bem da maioria de sua equipe? 

A resposta pode parecer dura, mas lembrem-se do começo deste artigo quando me refiro à liderança como “um assunto tão lindo e que apenas pessoas muito bem preparadas conseguem desempenhá-lo com maestria ”.



Informamos que esse texto é de inteira responsabilidade do autor identificado abaixo.

Giovanni Guilhermo Rocha Gardeano

Giovanni Guilhermo Rocha Gardeano

Leader Coach

Professional Coach certificado pela SLAC em 2016 e Bacharel em sistemas de informação e gerência de TI com foco em projetos tecnológicos. Experiência profissional sólida na área de Tecnologia da Informação com cerca de 10 anos de experiência, além de atuar em Startups multinacionais e estruturar equipes para gestão de incidentes e atendimento ao consumidor.

+1
share

Comente

Programa Foco e Gestão com Sulivan França

Artigos dos Membros SLAC Coaching   /   veja mais

Contato / Te ligamos

De segunda a sexta
9:00 - 18:00

+55 (11) 3670-1770

info@slacoaching.org

Av. Francisco Matarazzo
1400 - SP

Sociedade Latino Americana de Coaching

+55 (11) 3670-1770
info@slacoaching.org

São Paulo - Brasil
Centro de Treinamento
Av. Francisco Matarazzo, 1.350
Água Branca - Cep: 05001-100
São Paulo - Brasil
Sede Administrativa
Av. Francisco Matarazzo, 1.400
Água Branca - Cep: 05001-100
CNPJ: 15.229.739/0001-47
Santiago - Chile
Oficina
Suecia 42, Oficina 02
Teléfono: +56 2 2632 5042
Lima - Peru
Oficina
Plaza Ricardo Palma 107 - San Borja
Teléfono: +51 980 037 494
Cartagena - Colômbia
Oficina
Cr 3 6A Esq. Ed. Jasban 407 - B/Grande
Teléfono: +57 5 655 03 01

Conteúdo Registrado ®
Todos os Direitos Reservados
Cópia Proibida.